Notícias

26/03/2019

Suicídio e Automutilação foram tema da Aula Magna dos cursos de Saúde e Educação

Na noite de ontem foi realizada a Aula Magna: Saúde e Educação com o tema “Suicídio e Automutilação entre crianças, jovens e adolescentes” pelo curso de Psicologia, juntamente com os cursos de Enfermagem, Fisioterapia, Biomedicina, Farmácia, Educação Física e Pedagogia no auditório Romildo Bolzan. O evento foi prestigiado pelos acadêmicos dos cursos de Direito e Ciências Contábeis, além de alunos e professores de escolas públicas, entidades municipais e comunidade. 
A coordenadora do curso de Psicologia, Profª Drª Zuleika Costa, recepcionou os participantes e informou que este é o primeiro evento de um novo projeto que o curso de Psicologia irá lançar juntamente com entidades públicas e outras instituições parceiras. A mediadora do evento, a professora da UNICNEC, Amanda Maciel, destacou a importância da temática em um evento com todas as áreas de ensino da instituição.
A primeira palestrante da noite foi a psicóloga Denize Amaral, que conversou com os acadêmicos sobre as diretrizes da Lei 8.080 (Sistema Único de Saúde – SUS). “A questão do suicídio foi pensada somente após 10 anos da Constituição de 88 e ver um auditório lotado para debater sobre Suicídio e Automutilação é uma conquista para mim, que nestes 30 anos de profissão já palestrei para números bem menores de pessoas” ressalta.
Após a fala da psicóloga, foi a vez da psiquiatra Amanda Macolmes conversar sobre algumas pesquisas, sobre como os pacientes reagem em diferente fase de estresse e que muitas vezes demoram para procurar ajuda profissional. “Muitas pesquisas apontam que as mulheres são mais propensas a cometerem a automutilação, mas sabemos que não é bem assim, pois outras pesquisas também apontam que são as mulheres que procuram o atendimento e tratamento”. destacou
Em seguida, a instituição recebeu mais uma vez o coordenador do grupo de médicos do Osório, André Bendl, que apresentou diversos índices de suicídio e automutilação. “Hoje, a cada 45 minutos uma pessoa comente suicídio. Um estudo de 2012 mostrou que o Brasil tem o mesmo índice de suicídios que países da europeus, e isto é grave. Além disto, os índices de automutilação podem ser ainda maiores devido as falhas de notificação por parte da saúde pública.” Afirmou
Após o debate dos profissionais da saúde, o Juiz da Vara de Infância e Juventude da Comarca de Tramandaí, Dr. Emerson Mota, apresentou o lado jurídico de alguns casos. “Tudo se inicia com o direito à vida, em que o Estado tem o dever de cumprir este direito, por exemplo, se uma pessoa está em uma situação na qual ela é o risco para si mesma, um familiar pode pedir a internação desta pessoas, e aí entra a justiça, para garantir o direito à vida. Inclusive, já é considerado crime de 2 a 6 anos de prisão para a pessoa que influenciar ou causar algo que resulte diretamente no suicídio de outra pessoa”. destacou.






Leia Também

24/06/2019

Festival de Dança